segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

"Vieste num dia marcado, sagrado para mim"

Eu sempre lia relatos de parto, mesmo antes de se quer engravidar. No final da gestação eu lia e me emocionava com os relatos só imaginando como seria o meu dia e como eu colocaria em palavras esse momento tão esperado.

E num piscar de olhos, esse dia chegou e foi tudo tão diferente do que imaginei. Foi muito mais, foi muito melhor, muito maior...

Há algum tempo eu já não dormia a noite inteira e a noite do dia 19 não foi diferente. Acordei por volta das 3hs da manhã e não dormi mais. Sentei na varanda e fiquei ouvindo o silencio da madrugada. Vi surgir no céu os primeiros raios de sol do dia 20 de dezembro - o grande dia da minha vida. Chorei de emoção. Orei a Deus e agradeci por tudo, por cada dia vivido até ali. Cantei e alisei a barriga. Me despedi de mim e da minha vida.

Arrumei as ultimas coisas que eu iria levar para maternidade e esperei Bruno acordar. Tomamos café e eu pensei..."esse é o nosso ultimo café da manhã como casal apenas". Aliás, tudo que eu fiz naquele dia eu fiz pela "ultima vez". 

Levamos Sophia ao pet shop para tomar banho e fazer a tosa. Ela iria receber os irmãos limpinha e sem pêlos.

E assim passou a manhã. 

Após o almoço fomos para o Hospital dar entrada no internamento e esperar. O internamento demorou horrores, fiquei quase 2 horas esperando me liberarem para subir para o quarto e quando finalmente subi já estava quase na hora do parto.
Vesti a tal da camisola que deixa a bundinha de fora e fiquei esperando virem me buscar para o centro obstétrico. Logo depois chegou um rapaz de azul com uma cadeira de rodas: Tinha chegado a hora.
Eu tremia por dentro, meu coração batia além da sua capacidade e eu estava prestes a explodir com os muitos sentimentos que fervilhavam dentro de mim.
Cheguei ao gelado centro obstétrico (se antes eu tremia de emoção e nervosismo, agora eu tremia era de frio mesmo) e fui muito bem recebida por toda equipe que tentava me deixar ao máximo relaxada. Mas, nada conseguiria me fazer parar de tremer. A essa altura, eu tremia por dentro e por fora (visivelmente, diga-se de passagem).
Respondi o questionário de rotina e fiquei aguardando o meu obstetra chegar. Ele chegou e junto com ele Bruno.  Respirei um pouco mais aliviada, me senti um pouco mais segura.  O tremor até diminuiu mais. foi quando abriram a porta da sala de cirurgia e me convidaram a entrar. Levantei sabe lá Deus como, e subi na maca cirurgica.

Estava ali me cagando toda de medo da anestesia, medo de morrer, medo de ter alguma complicação no parto, medo dos pequenos não estarem prontos ainda... o medo tomou conta de mim naquele momento.

Acesso puncionado com gelco 20 (quase xinguei a enfa...ardeu feito pimenta), soro correndo e finalmente a anestesia, que para minha surpresa NÃO DOEU nem um pingo. Fiquei bestificada, como o negocio foi bem aplicado e olha que eu não suporto sentir dor. Mas de fato não doeu. Deus abençoe a mão santa da anestesista.

Assim que o anestésico terminou de ser aplicado, comecei a sentir um formigamento nas pernas, um calor na pele como se eu tivesse tomando sol da cintura para baixo e, de repente, tudo ficou pesado, mas eu conseguia MEXER os dedos dos pés. Preocupei e perguntei a enfa se era normal, porque já pensou se a anestesia não pega?

Em alguns minutos senti um cheirinho de carne queimada era o bisturi elétrico...estava começando.  começou uma aposta entre a equipe sobre quem ia nascer primeiro.  De acordo com o último ultrasson, Clarinha estava cefálica e por isso ela seria a "mais velha", acontece que Segundo estava grande demais e Clara estava tão espremida que ele, embora estivesse com apresentação pélvica, teve que nascer primeiro. E assim foi. Ouvi o choro do meu baby boy.
GENTE, que emoção...eu não estava pronta para viver aquele momento. Era mais do que eu imaginei. Um amor que  parece que vai de sufocar e a unica coisa que eu fiz foi dizer..."Dr. tá tudo bem com ele? Ele tá chorando?" Foi quando o neonatologista se aproximou e me mostrou ele. Vi o meu filho pela primeira vez e nunca esqueceria o rosto dele, mesmo que 100 anos se passassem. E, dois minutos depois desse tsunami de emoção outro recomeçou... agora era ela, minha princesa que chegava e 'senti tudo de novo outra vez' como se fosse a primeira vez. Ela era tão pequenina, mas gritava tão forte que me fez chorar de orgulho.
Como Deus tinha sindo bom comigo e com meus filhos. Não tinha palavras para agradecer, mas agradeci com todo o meu coração.

Segundo nasceu pesando 3,200g e APGAR 9 e 10. Clarinha nasceu pesando 2,300g e APGAR 8 e 9.

Eles foram para o berçário onde tooooda a familia aguardava para ve-los e eu fiquei ainda mais algum tempo no centro obstétrico e depois desci para o quarto. Duas horas depois eles chegaram e minha vida ficou enfim, completa.










8 comentários:

.::Carol::. disse...

que lindo Lara!!!!
que bom que correu tudo bem e como o nosso Deus é maravilhoso!!!!
depois vc conta como foram os primeiros dias !
beijão!!! e março está chegando!!!! aí vou poder te ver de novo e conhecer as fofuras!!!!

FláviaBGS disse...

Que emoção... até eu me tremi toda lendo o seu relato!!!
Fico feliz demais por vcs!!! Que o Senhor continue guardando cada passinho dessa looooonga jornada!
bjs enormes

Damaris disse...

Que lindo post amiga!!!
Deus realmente é perfeito e sempre faz o melhor por nós!!!
Que seus babys cresçam com saúde, e que esta família linda seja cada dia mais abençoada!!!

Beijinhos...

Sara Lima Saraceno disse...

Aaaiiii que lindooooo!!!!
Miga, a anestesia não doi porque tem uma anestesia na pele antes..rsrsrsrs!!!
Super emoção a chegada de um filho!!! Maravilhoso o seu relato!
Quero te visitar, depois me diga o melhor horário!!!
Bjooo

Kadija Teles disse...

Morri de vontade de ter filho tbem, Lara. Que relato lindo! Parabens! Bjs

Adriana Barretto Bomfim disse...

que relato mais emocionante!!
"Me despedi de mim e da minha vida."- é verdade,sua vida vai ser,apartir de agora,antes e depois dos pimpolhos!
uma foto q vi do seu parto,vc em prantos,foi nesta hora q vc agradecia à Deus?! nunca vi uma foto tão cheia de emoçao!
parabéns pelo filhos lindos!
bj

Tici Nicory disse...

Eu chorei. Muito bonito seu relato. Também estou curiosa para saber como você está se virando com os babys. Beijão!

Mariana Rocha disse...

Que palavras mais lindas e emocionantes Larinha... Fiquei tocada. Parabéns pelos pimpolhos e que o Senhor Deus continue abençoando cada página desta nova jornada. Tb estou curiosa para saber da sua nova rotina. Bjs