segunda-feira, 1 de julho de 2013

Pequenos 1 X 0 Mamãe

 Desde que eu me lembro, eu tenho tido problemas com a alimentação dos pequenos. No peito, Gundo tinha uma super dificuldade na pega. Clara era a preguiça em pessoa. Mamava, parava, dormia e não acordava por nada. Não tinha "surra de peito" (os entendidos, entenderão) que acordasse a pequena. Depois, vinheram as papinhas salgadas e Clara se tornou super seletiva. Gundo comia bem, sem problemas. 

A cada ida ao pediatra e a constatação de que Clara não estava ganhando peso como deveria, eu queria morrer. Obviamente T.O.D.A.S as mães a quem eu pedia ajuda nunca tiveram problemas com a alimentação de seus filho, ao contrário, seus filhos sempre comeram de tudo, até mesmo giló.

Testei diversas receitas. Acertando e errando. Clara e Gundo comiam quando dava na veneta. Meu coração ficava em festa no dia que eles raspavam o prato. Mãe é tudo bocó, mesmo!

Porém, de uns tempos pra cá, o horário do almoço deles se tornou um terror. Eu já ficava nervosa quando a hora ia se aproximando. A minha ex-ajudante (graças a Deus foi embora, aquele encosto. Empregada doméstica, não sei lidar. Amém!) também tinha a maior dificuldade para dar o almoço dos pequenos.

Procurei a professora da creche para saber se os meninos tinham dificuldade em aceitar a sopinha no final da tarde. Claro que eles não tinham. "Comem tudo, raspam o prato", disse a professora.

Minha grande preocupação era (e ainda é) o peso de Clara. Ela está abaixo da média, tanto em peso,como em altura. O pediatra me aconselhou a ir a uma nutricionista especializada em alimentação infantil, para ver se ela poderia me orientar a como estimular  Clara a ter mais interesse pela comida. Eu seguia a risca tudo que ela me disse, inclusive de me ausentar na hora do almoço deles, para evitar que ela tentasse barganhar comigo (já que ela sabia, que eu costumava a ceder e oferecer o leitinho. ok, eu assumo mea culpa). E, mais uma vez, Clara se negava a comer. Ia com fome para escolinha, mas não comia.  E isso se repetia dia após dia. 

Eu já tinha chorado, puxado os cabelos, pedi receita a cozinheira da escolinha e nada. 
Não sabia mais o que fazer.

Sábado eu mais uma vez  preparei o almoço deles, cortei tudo bonitinho, coloquei em um prato colorido e NADA!  Cansada, levantei e falei: "Então, vai ficar com fome, viu Clarinha?! Porque hoje mamãe não vai dar leitinho não!" 

Fui fazer meu prato. Voltei e sentei no sofá para ver televisão (Dane-se! Eu como na frente da TV!). 

Adivinha, quem encostou do meu lado e falou "nhami,nhami"? CLARA! 
Eu perguntei "Vc quer filha, o da mamãe?" E ela balançou a cabeça positivamente e falou: "Nhami, nhami" (é assim que ela pede comida. As vezes ela fala "dá"). E, adivinha quem comeu quase tudo o que tinha no prato? CLARA!

Na hora me veio um insite: "Ela não quer comer a comida dela, no prato dela. ela quer a minha comida, no meu prato! Ai que burra que eu sou! Dá zero pra ela professor Girafáles

Sabe o tormento para dar o almoço dos pequenos? Acabou!
Gundo  curtiu a novidade e ama catar o feijão do "meu" prato






5 comentários:

Adriana Barretto Bomfim disse...

Imagino seu sentimento!
qnd introduzi a alimentaçao para Dan, os primeiros 15 dias foi um horror...qnd chegava a hora da comida eu tinha vontade de sumir...
q bom q vc achou uma maneira de fazê-los comer!!
bj

Mari disse...

Do prato da mamãe é sempre mais gostoso!!! :)

Elma disse...

rsrsr Querem comidinha e pratinho de gente grande. Fofos!! Q bom q agora os pequenos comem direitinho!! rsrs

bjos,

Sara Lima Saraceno disse...

Que deli!!!!!
Lara sempre deu trabalho pra comer, era uma luta... tem 1 ano e meio que melhorou... bastante... é isso ai, amiga, com filhos é uma batalha de cada vez... e nessa sua contabilidade ai, tomara que eles ganhem todas! ;D
Bjuus

Ana Sofia Domareski disse...

Hahaha... Adorei!!
E que dane-se as regras!