terça-feira, 20 de setembro de 2011

A mãe gata


A gente depois que fica grávida começa a enxergar o mundo por tras das lentes da meternidade. E passa a entender muito das atitudes de sua mãe que você tanto recriminou.  Você também entende  o intinto-maternal-animal-irracional que existe em você e nas fêmeas das outras espécieis (da maioria pelo menos).

Para ilustrar vou contar uma experiência simples e corriqueira que muita gente já viveu, inclusive eu. A diferença é que dessa vez o significado foi outro.

Eu e o marido descemos com Sophia para o passeio de final da tarde dela. Bem distraída ela estava cheirando cada centímetro da calçada, quando um vulto branco passa por nós e se coloca em nossa frente, com os pêlos eriçados, unhas e dentes de fora e com uma "voz" bem ameaçadora. Sophia, lenta que é,  nem se deu conta e continuou farejando sabe Deus lá o quê. Mas eu percebi imadiatamente que  nós três representávamos uma ameaça,  não para ela, mas para os filhotinhos que estavam em um canto da calçada.

"Sim Lara, mas e daí?"

Daí que eu e Bruno poderíamos fácil, fácil "derrotar" aquela gata, mas ela não se importou com isso. Não mediu nosso tamanho, nem a nossa força. Ela estava ali para proteger os seus filhotes, garantir a segurança e o bem estar deles e acabou.

Em respeito a ela, demos a volta e saímos de lá

Mas sabe? Naquela hora me identifiquei, me vi naquela gata e pensei "Meu Deus! Não é que eu  estou ficando assim?!" 
Eu também fico insana quando imagino que outros podem causar algum mal aos meus filhos.  E olha que eles nem nasceram ainda. Tudo que eu tenho são dois bebês idealizados, que só existem na minha imaginação e mesmo assim sinto uma fúria louca quando alguém se esbarra na minha barriga e nem pede desculpas ou se aproveita do meus andar 'mei' lento e tenta me empurrar para passar na frente e entrar no elevador. Minha vontade é de fazer como a mãe gata: Ficar de frente com a criatura (seja ela quem for ou do tamanho que for),  agarra-la pelo colarinho, rosnar  e com os dentes travados manda-la prestar atenção porque meus filhos estão ali também.
#aloka

***
Ontem teve consulta pré-natal e a 'mamai' aqui tá pesando 70 (S-E-T-E-N-T-A) lindos quilos  (até agora engordei "só" 8kg, mas subir na balança e ver um 70 piscante me apavorou...hihi) #murri
A pressão arterial anda lá no pé como de costume 80x60mmHg, (melhor assim), altura uterina de 25 e os corações dos pequenos está batendo forte e rápido.
A anemia deu as caras novamente e junto com ela o Combiron Fólico #eca

Dr. GO recomendou o repouso relativo por enquanto, posso fazer algumas atividad es mas nada de muito pesado (ok, isso eu já tava fazendo por conta própria). Falou que essas dores na virilha são normais e que vai piorar com o aumento do peso dos pequenos #murrioutravez.

Não marcamos uma data  para o parto pelo seguinte: Ele explicou que se eu chegar nas 34 - 35 semanas e entrar em TP que mesmo sendo prematuro era bom, porque os pequenos já estariam maduros e só ficariam internados para ganho de peso (não quero nem pensar nisso), mas que se isso não acontecer e eu chegar na 36ª - 37ª semana sem intercorrências que aí ele marca o parto para a semana seguinte. Isso porque os hospitais só marcam cesariana com no máximo 1 semana de antecedência.  'Entonces', seguimos ansiosos semana-a-semana.
Bom, é isso!

=*

6 comentários:

Sara Lima Saraceno disse...

É isso ai, amiga... quando a mãe FAREJA perigo, vira BICHO! Vai se acostumando!! Só toma cuidado para não ser super protetora demais de modo que as crias não possam desenrolar seus próprios conflitos...
Bjus

Amiga Salada disse...

Oi Larinha!!!!
quisera eu estar com 70 kgs.... mas vou chegar lá... dá uma olhadinha no meu blog... preciso de muita força!!!!!
eu sei que vc sabe quem eu sou, mas não quero que ninguém fique sabendo... prá eu poder falar a vontade.... beijinhos....

Lara disse...

Sarinha,

Vou me controlar para não ser uma mãe super protetora...hahaha!!!

Mas eu acho que vou ser daquelas que vira onça fácil, fácil!

Xêro

Lara disse...

Oi amiga,

Eu sei quem é você, mas o seu blog não está disponivel. Vc ainda não publicou o seu perfil. Por isso não posso visualizar.

Veja suas configuraçõe.

Beijos

Marta disse...

Oi Larinha
É isso mesmo, a gente vira fera, eu mato e morro pelo meu filhote e acho que é assim que deve ser, não quero super proteger, mas também não quero que nada nem ninguém façam mal pra ele, as dores da vida já são inevitáveis mas o que eu puder fazer para abrandar eu farei.
Beijos

Lara disse...

Penso como você Martinha! Vou proteger minhas crias do que eu puder...tem coisas que só eles vão poder viver, decepções, dores, tristezas, perdas...mas no mais vou proteger sim!

Feito bicho!

Beijos