segunda-feira, 8 de agosto de 2011

DJ, toca o Roberto.

Meu pequeno e minha pequena,


Tem dias que eu choro. É incontrolável, e nem posso dizer que é por causa dos hormonios enfurecidos, é  por causa dessa alegria tão profunda que eu sinto quando vocês se mexem, mesmo que ainda seja de levinho.
E sinto medo. Medo de não conseguir manter vocês aqui dentro de mim pelo tempo necessário para que vocês, ao nascerem, estejam de fato prontos. Tenho medo ainda de algum dia na vida perder vocês. Tenho medo de não saber ser mãe. Tenho medo de errar e tenho medo desses medos porque nenhum deles eu posso controlar ou evitar.
Mas, eu sonho também. Sonho com vocês a noite, quando durmo. Sonho com o nosso primeiro encontro. Sonho com vocês me tirando do sério. Sonho em pôr vocês na cama e beijar suas testas e dizer: "Boa noite, meu amor. Qualquer coisa, chama mamãe"
E, me transformo. Não reconheço mais o meu corpo no espelho, só vejo uma barriga que cresce e mostra para o mundo o que está acontecendo comigo. Sempre achei que quando ficasse grávida teria o maior orgulho da minha barriga. E tenho mesmo. E mostro e não me importo que peguem na minha barriga. Quero mais que vejam e sintam o grande milagre é que ter vocês aqui dentro de mim.


Mudei muito por fora, mas é por dentro que acontece a maior das mudanças, meus pequenos. E a maior de todas, eu posso jurar que é o tal "amor de mãe".  Um amor divinal, sem limites, sem medidas. Mas esse amor não vem junto com o resultado positivo do Beta HCG, isso eu posso garantir. No inicio, logo que soube que estava grávida eu sentia um amor-embrião, pequeno, sem forma, imaturo e frágil. No dia da primeira ultrassonografia, ao descobrir  que vocês eram dois e ao ver e ouvir aquele som pulsante que eram seus corações, senti esse amor me rasgando o peito, me transformando em uma pessoa diferente daquela que entrou na sala de exame. 
E tem sido assim, um amor que cresce semana-a-semana, se desenvolve, toma forma e a medida que o tempo passa. Ele me invade, me consome, toma os meus sentidos e transforma a mulher que eu costumava ser em algo que eu não sei ainda dizer o que é. 
Me transformando em MÃE, talvez.



Talvez, essa música faça mais sentido no dia em que vocês nascerem. O dia que esse amor vai explodir dentro de mim, atravessando o meu peito e inundando a minha vida para sempre.
Então fica combinado assim, essa será a nossa canção, o nosso hino.



13 comentários:

Sara Lima Saraceno disse...

Amiga, vai preparando o seu coraçãozinho para um amor sem explicação. Qdo a gente está grávida apenas tem um idéia do que seja esse sentimento... qdo nasce a criança, a coisa fica desmedida, vc vai ver!! E só cresce, viu? Mesmo quando vc achar que não dá para amar mais, vou te contar um segredo: dá!! Até hoje eu me surpreendo e olhe que já vão quase 3 anos...
Bjuus

Dani disse...

Rum...só aumenta!Parece que se multiplica em PG por ano! Não imagino minha vida sem minha filha, não sei como vivi sem ela... meu tudo, minha vida, meu mundo, meu dia, meu melhor! Affff era pra chorar?
Bjoo
Dani

Mi Freitas disse...

Aiiii cumadi..assim você arranca lágrimas da platéia....
Mas tudo isso é mesmo um grande milagre de Deus...
E quando vc diz que "esse amor não vem junto com o positivo" me lembra aquela colega la da igreja que tem filhinho PC..que hoje tem 2 aninhos....e ela fala disso mesmo...Que o amor que ela tinha quando ele tava na barriga era um, ...e que hoje consegue ser um amor ainda maior.
Ohh cumadi, assim como desejo quando for a minha vez, que seja uma gravidez tranquila q abençoada....desejo exatamente o mesmo pra vc...uma gestação abençoada. Visse?!
=*

Paloma disse...

Essa é uma das músicas que uso para ninar Luíza!

E o que disseram mais acima é a pura verdade, o amor só cresce a cada dia!

beijocas

Adriana Barretto Bomfim disse...

Lara,
tudo isso faz parte da maternidade...sempre temos medo de não sermos boas mães,mas acredite,o instinto falará mais alto e vc fará tudo certo e ainda achará q fará melhor do q sua mãe q tem mais experiencia!
é amor q não acaba mais mesmo,amo ver Leticia dormindo!olho pra ela e até hoje não credito q seja MINHA FILHA!
bjo

Carol Oliveira disse...

Muito Lindo...até me emocionou!
Só Deus para explicar tamanho milagre e amor.
Desde do dia que decidir tb engravidar tudo mudou,são tantos medos, dúvidas, ansiedades...As vezes me pergunto se estou realmente preparada, mas o importante é confiar tudo a Deus e deixar que Ele nos use da melhor maneira para exercer o papel de MÃE!!!

Bjus nos 3!!!

Lara disse...

Sarinha,

Eu posso imaginar, mas sei que o que eu imagino não é nem a matade do que é na verdade.
=P

Lara disse...

Dani,

Pode chorar sim! Tudo agora me faz chorar...hahahaha!!!! Imagina depois?

Acho que vou ser a mãe mais besta do mundo =D

Lara disse...

ô Mi, não chore não...hehehehe!!!!

E é isso mesmo, a gente vai amando de pouquinho em pouquinho e ps o bixo pega...hahahaha!

Tô na torcida para saber DE VOCÊ!!!!

Lara disse...

Loma,

Eu me imagino ninando os dois e cantando maravilhosamente afinada, como só eu sei fazer. =P

Beijo

Lara disse...

Dri,

São tantas as dúvidas né? Tantos medos e receios. É uma experiencia tão nova de tudo que eu já vivi e mesmo observando outras mães, não tem como você se imaginar naquela situação. Parece que você nunca vai saber fazer ou dar conta.

Beijos

Lara disse...

Carol,

De uma coisa tenho certeza: NNCA estaremos preparadas, porque o "praparo" só o tempo traz e, para isso temos que nos tornar mãe....entendeu?

Hahahaha!!!!

Beijos

Marta disse...

Ai Larinha! esse sentimento só aumenta, as vezes parece que vai te sufocar, hoje quando vejo meu filho tenho sentimentos confusos, de amor, proteção, super proteção!! kkkkkkkkkkk, se vc pudesse não deixava nem um mosquitinho encostar neles, é mágico ver o sorriso, ver ele te reconhecer, pegar seu rosto enquanto mama, me sinto uma boba e acho que vou sentir isso sempre.
Quanto a estar preparada, nunca estive amiga, e acho que nunca vou estar, a gente vai se testando, acertando e errando, mas o amor é tão grande que eles vão te aceitar e agradecer a mãe que você é pra eles.
beijo